Busque.

Sinta aflorar um desobedecer e prevaleça em seu saber, transmita todo seu parecer de forma que lhe faça entender que de nada vale todo saber externo se não há o conhecimento interno. Praticar a conexão com o universo lhe fará compreender que tudo está relacionado à você como peça ímpar para algo muito maior, tudo dependerá de como você se doará a essa ligação. Vigie seus pensamentos, exclua palavras danosas do seu vocabulário, reluza o que há de mais profundo em você e compreenda que todos somos feitos de energia, porém o que nos diferencia é nossa pura e única essência. A evolução se dará pelo seu amor próprio e este não se limita ao seu fenótipo. Transforme seu genótipo para sua melhor versão, busque sua conexão e transborde toda a sua inspiração sem qualquer limitação, compartilhando tudo que seja condizente de sua opniao agregando valores no ato de compartilhar e se espiritualizar, aceitando tudo o que o universo tem para te proporcionar. Receba, sinta e seja a essência do seu eu a aflorar!

Caroline Gonçalves.

Pessoal.

Estar consigo exige muita coragem, estar por si requer muita bravura. Amar-se é para todos, mas são poucos que se bem-querem.
Apreciar-se é entender que você é um ser único e exclusivo e cada palavra ao vento é uma mandinga para bons pensamentos, bons momentos, alguns instantes sobre o tempo, tempo que insiste em correr contra o ponteiro só para poder ganhar mais tempo. Tempo incerto e impetuoso, disforme e incabível, que nos prende ao anuário e ao relógio, ciosos para que o tempo traga o momento específico, momento ideal, cabal e pessoal.

Viver coberto de certezas lhe faltará respostas e tampouco lhe sobrará perguntas.
Questionar-se, demanda de uma grande confusão mental, confusão irracional, sentimento literal e desproporcional. Duvidar sem criticar, dançar sem tropeçar, sorrir sem registrar, seja leve e livre, voe para onde o vento te soprar e quando chegar lá, agradeça pelo árduo caminho que tivesse que encarar. Entenda que “só não era feliz quem não sabia”, então saiba que só depende de você para tamanha sapiência e compreensão, seja calmo e aprecie a sua evolução.

Viaje por novos lugares, conheça novas cores e sabores, encare o hoje como um presente e agradeça pelo sol que volta a cada novo amanhecer. Descubra, desbrave, se aventure, encare, supere, acredite e seja. Seja mais leve, mais bondoso, seja mais confiante e afetuoso, seja mais sincero e honesto, seja mais otimista e siga perseverante, afinal, no final é tudo por você e pra você, então seja tudo o que puder e quiser, seja tudo aquilo que sonhou ser, seja simplesmente você.

Caroline Gonçalves.

Amor.

O que é o amor?! Se não tudo o que tem forma ou frase. Amores frágeis ou sólidos, palpáveis ou lógicos, lúdicos ou irreais, amores avassaladores em forma de temporal, vendaval, algo surreal.
Amores fracos por um fio ou resistentes como rocha, sedimentando por ternuras e temores junto a nossos amores. 
Amores loucos e desconexos, distantes e por vezes perto, sensatos e perspicazes, amores que servem para durar somente uma fase.
Longos amores que te arrebata como aluviões, te transporta sem direção e te tira o ar e o chão. Amores que vem e vão.
Amores sinceros e serenos, as vezes grandes ou pequenos, mas sempre amores verdadeiros. Amores que te ensinam a enxergar, amores que ensina a amar e a selecionar o que é verdadeiramente amor para se dar. 
Existem amores pragmáticos e caóticos, divergentes e opostos, que se amam incansavelmente até no fogo ardente, rasgando a alma abruptamente, e partindo gentilmente.
Busque amores leves e sem despeito, que haja respeito e honestidade, amores sem maldade e de grande integridade.
Existem amores displicentes e descontentes, cobertos de descuidados, existem amores fadados ao fracasso.
Percebo amores falidos e sobrecarregados, carregados de incertezas e decepções, amores que destroem os corações.
Corro atrás de amores recíprocos, respectivo e mutual, corro atrás de um amor incomparável e  usual,  um amor casual.
Me perco em loucos amores sem sentido, amores que me deixam aluado e perdido, amores por vezes sórdido e devasso, amores um tanto rasos sem prefácios.
Discorro sobre amores em geral, sobre amores fácies ou difíceis, amor consensual. Amores perdidos ou convenientes, amores um tanto  provenientes.
Me aprofundo no amor da igualdade, sempre disposta a expressividade clara em seu semblante na naturalidade em amar, pois o único quesito foi simplesmente simpatizar e partilhar.
Seja um amor que você quer ser para amar.
Caroline Gonçalves.

Exteriorizar.

Extermalizando toda extensa experiência da essência absorvida da energia fluida que vem do universo, transbordo vibrações já esquecidas inseridas em minha alma, absorvendo o incisivo esdrúxulo sistêmico da frequência ao vibrar, sinto rasgar a alma para poder me repaginar.

Agora ao estar mais madura ao observar, noto a insistência da psique pessoal ao se fazer notar, segmentando na impessoalidade humana no ato de se relacionar ao socializar.

Ser invasivo e opressivo na ação de criticar serve somente para ofender e destratar, tratando-se mais de uma questão pessoal do que a quem quer se retratar.

Ser transparente nos sentimentos a demonstrar é ser sincero consigo mesmo no simples ato de se preocupar. Orgulhe-se de poder e saber expressar e saiba como e quando somar ou se afastar.

Esteja pronto para se transformar. A totalidade de sua sapiência é o suficiente para lhe projetar a um novo ciclo e se metamorfosear, encare a vida com plenitude em sua razão, sem jamais se contradizer ao se sustentar em sua sinceridade e veracidade.

Que toda modificação e mutação seja para sintetizar a excelência que tens a transbordar. Seja o melhor de você em todas suas ações até no exercício de detestar. Reaja para que o universo possa restaurar a energia que insiste em te rodear, se rodeie de boas vibrações e pessoas que possam somar. Some e compartilhe seu conhecimento para que esse possa se amplificar, expandindo sua mente e fluindo com com frequência que sintoniza com o seu radar.

Caroline Gonçalves.

Observar.

Eu vejo vidas todos dos dias.
Vejo vidas sem vidas, vejo vidas entristecidas.
Eu vejo rostos todos os dias, rostos envelhecidos e cansados da rotina.
Vejo carros todos os dias, carros que circulam tão cheio de pessoas vazias.
Eu observo a correria do dia a dia, pessoas esquecidas esquecendo da própria vida.
Eu ouço vozes todos os dias, vozes distantes, abafadas e afogadas pela melancolia.
Observando passos todos os dias, noto pegadas pesadas e abaladas sem um rumo certo na vida.
Está tudo tão cheio de nada e com tão pouca alegria.
São vozes que sussurram, passos que circulam e barulhos que nos ensurdecem a cada segundo.
Vejo cidades de pedras que nos tiram o ar e há tão pouca árvore para respirar.
Somos um grande formigueiro como formigas independentes,
que atacam-se uns aos outros e ainda roubam seus pertences.
Dizem que somos fracos, tão fracos quanto somos insistentes,
a insistência é tão chata quanto estilhaços nas mente.

Então, mais um dia se passou.
Será mesmo que você se reinventou ou simplesmente continuou?!

Caroline Gonçalves.