Abastar

Abster-se da necessidade de se completar com terceiros é saber valorizar a significância da sua existência. Acolha e acuda a sua alma, dê prioridade a sua paz. Culmine e cauterize essa carência impregnada em seu interior, arranque essa indigência caracterizada de solidão, preencha-se de solitude e transborde em comunhão com a sua singularidade, seja o seu amor de verdade.

Não se complete com metades, sejas previamente inteiro consigo e conseguirás verter de onde for. Sejas nascente e beba de sua própria água e sacie a sua sede com calma, gota por gota se inunde de pura satisfação e gratificação, esse é o seu momento de contemplação, vislumbre com emoção e se comova com sua condição de libertação, é hora de abraçar o seu coração.

Renuncie suas expectativas sobre o outrem, não dependa dessa necessidade de fantasia, não caleje uma vontade ilusória, não alimente futuras decepções, não fulmine expectações, não sabote seu interior com preposições, não autorize ninguém a esperar nada de você e não espere nada de ninguém também. Desconstrua essas estruturas fictícias e se surpreenda com o belo e inevitável acaso, dê vazão a vida e deixe fluir sem conjectura, afinal o ideal é por definição, inalcançável.

Caroline Gonçalves.

Perspectiva.

Incerta sobre meus pensamentos, vagueio por aí sem direção. Ao desfilar por dentro de mim, me deparo entre paredes pixadas de puro horror e nostalgia, são memórias esquecidas, memórias arquivadas, intituladas minhas experiências.

Estou vivenciando-me em pura lucidez. As paredes riscadas, aranhadas e maltratadas, agora em ruínas, acento tijolo por tijolo pintando tudo em tom de branco, só para dar impressão de maior.

E com esse espaço que me abre, me desrompe uma vastidão de solidão. Que inércia incumbida. Como permitir tais sentimentos defasados ao meu ser, sendo que me deparo em abundância de companhias.

Ao mesmo que me sinto ingrata pelo que me é dado, sinto amor e apreço por tudo que já houvera conquistado. Como posso ser tão contraditória a mim, questionando-me até o fim.

Fingindo acreditar ser normal, me faço racional e me ponho em suma prioridade. Hora de entender quem eu sou de verdade.

Sou nada além de uma extensão do que idealizo, logo, sou a essência do meu desejo. Desejo soberbo sobre tudo que anceio e almejo, tudo dentro do meu preceito.

Sentindo estar fora de percurso, saio dos eixos e entro em colapso me pondo à deriva de um precipício. Vou me jogar e contar com a sorte.

Que sorte a minha, era só questão de perspectiva. Agora tudo faz sentido. “É necessário sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós.”

Caroline Gonçalves.

Resolver

Certo dia resolvi escutar. De longe se ouvia uma voz a sussurrar, acalmei a alma, respirei bem fundo e decidi me atentar, me conectei com tudo que percorre meu radar, sintonizei minha frequência para poder captar a energia que circunda o meu ar, hoje atraio tudo aquilo que simpatiza com minha singularidade.

Um dia resolvi mudar. Mudei meus longos cabelos pintados, meu semblante apagado e disperso, mudei a maquiagem dos olhos e o estilo defasado. Substitui um discurso velho por um novo, sem mais pontos finais, hoje me permito reticências…

Chegou a hora mudar. Mudei minha risada abafada, meus argumentos falidos, mudei minhas desculpas esfarrapadas. Abstraí tudo aquilo que não agregava ou fazia falta e me repaginei com um novo sorriso estampado na cara.

Um dia resolvi deixar. Deixei meus medos abstratos de lado, os amores no passado, deixei de molhar os pés no raso e mergulhei ao fundo de minha particularidade, afinal, quem eu era de verdade?! Extrai toda insignificância do que é ser e senti toda uma vastidão do que é ser eu, hoje me permito desapegar para que o novo, puro e abundante possa entrar.

Chegou a hora de aceitar. Abracei a causa sem justificativa, sem nem questionar se havia discordância sobre mim, me calei no instante em que a intuição me tocou, preenchendo lacunas sobre dúvidas e receios. Não me sentindo mais sozinha, hoje estou muito bem acompanhada de mim. Agora posso transbordar.

Caroline Gonçalves.

Busque.

Sinta aflorar um desobedecer e prevaleça em seu saber, transmita todo seu parecer de forma que lhe faça entender que de nada vale todo saber externo se não há o conhecimento interno. Praticar a conexão com o universo lhe fará compreender que tudo está relacionado à você como peça ímpar para algo muito maior, tudo dependerá de como você se doará a essa ligação. Vigie seus pensamentos, exclua palavras danosas do seu vocabulário, reluza o que há de mais profundo em você e compreenda que todos somos feitos de energia, porém o que nos diferencia é nossa pura e única essência. A evolução se dará pelo seu amor próprio e este não se limita ao seu fenótipo. Transforme seu genótipo para sua melhor versão, busque sua conexão e transborde toda a sua inspiração sem qualquer limitação, compartilhando tudo que seja condizente de sua opniao agregando valores no ato de compartilhar e se espiritualizar, aceitando tudo o que o universo tem para te proporcionar. Receba, sinta e seja a essência do seu eu a aflorar!

Caroline Gonçalves.

Verde.

Quando a cor verde vibra na gente vivenciamos uma sensação eloquente de sentimentos adjacentes estimulando nosso subconsciente com propriedades diferentes, agradável e estável, a cor verde tem um alto domínio equilibrado nos dando estabilidade e conforto a cor verde nos trás um sentimento harmonioso.
Resolvendo pintar as paredes da alma de verde chá, peço calma e liberdade, juventude e tranquilidade. Pintando as paredes da alma de verde escuro descubro oscilação sobre minha frequência vibracional, encontro meu equilíbrio corporal e emocional. Escolhendo um tom mais claro, acabo pintando de verde Lima que me instiga e me intriga com a energia pré estabelecida com a fauna e com a flora, energia que aflora, que floresce de dentro pra fora e nos transforma em pura sublimidade, energia de verdade. Sentindo o cheiro verde  na manhã nascente permito me inundar com pura quietude, absorvendo toda calmaria e serenidade e transbordando toda agitação e intranquilidade, cheiro verde de prosperidade.
Relacionando a cor verde com o nojo e a inveja, cobiça que que se expressa sem intenção de propriedade, não é uma inveja de verdade. Uma tonalidade de tamanha amplitude constituída de simples pigmentos, composta por ciano e amarelo  contorno todo meu oceano de verde mar e me atiro sem medo de me afogar, pois a cor verde representa proteção e no meu coração não há insuspeição quanto a minha intuição em acreditar que a cor verde é de pura liberdade, a cor verde, é energia de verdade!Caroline Gonçalves.

Amor.

O que é o amor?! Se não tudo o que tem forma ou frase. Amores frágeis ou sólidos, palpáveis ou lógicos, lúdicos ou irreais, amores avassaladores em forma de temporal, vendaval, algo surreal.
Amores fracos por um fio ou resistentes como rocha, sedimentando por ternuras e temores junto a nossos amores. 
Amores loucos e desconexos, distantes e por vezes perto, sensatos e perspicazes, amores que servem para durar somente uma fase.
Longos amores que te arrebata como aluviões, te transporta sem direção e te tira o ar e o chão. Amores que vem e vão.
Amores sinceros e serenos, as vezes grandes ou pequenos, mas sempre amores verdadeiros. Amores que te ensinam a enxergar, amores que ensina a amar e a selecionar o que é verdadeiramente amor para se dar. 
Existem amores pragmáticos e caóticos, divergentes e opostos, que se amam incansavelmente até no fogo ardente, rasgando a alma abruptamente, e partindo gentilmente.
Busque amores leves e sem despeito, que haja respeito e honestidade, amores sem maldade e de grande integridade.
Existem amores displicentes e descontentes, cobertos de descuidados, existem amores fadados ao fracasso.
Percebo amores falidos e sobrecarregados, carregados de incertezas e decepções, amores que destroem os corações.
Corro atrás de amores recíprocos, respectivo e mutual, corro atrás de um amor incomparável e  usual,  um amor casual.
Me perco em loucos amores sem sentido, amores que me deixam aluado e perdido, amores por vezes sórdido e devasso, amores um tanto rasos sem prefácios.
Discorro sobre amores em geral, sobre amores fácies ou difíceis, amor consensual. Amores perdidos ou convenientes, amores um tanto  provenientes.
Me aprofundo no amor da igualdade, sempre disposta a expressividade clara em seu semblante na naturalidade em amar, pois o único quesito foi simplesmente simpatizar e partilhar.
Seja um amor que você quer ser para amar.
Caroline Gonçalves.

Exteriorizar.

Extermalizando toda extensa experiência da essência absorvida da energia fluida que vem do universo, transbordo vibrações já esquecidas inseridas em minha alma, absorvendo o incisivo esdrúxulo sistêmico da frequência ao vibrar, sinto rasgar a alma para poder me repaginar.

Agora ao estar mais madura ao observar, noto a insistência da psique pessoal ao se fazer notar, segmentando na impessoalidade humana no ato de se relacionar ao socializar.

Ser invasivo e opressivo na ação de criticar serve somente para ofender e destratar, tratando-se mais de uma questão pessoal do que a quem quer se retratar.

Ser transparente nos sentimentos a demonstrar é ser sincero consigo mesmo no simples ato de se preocupar. Orgulhe-se de poder e saber expressar e saiba como e quando somar ou se afastar.

Esteja pronto para se transformar. A totalidade de sua sapiência é o suficiente para lhe projetar a um novo ciclo e se metamorfosear, encare a vida com plenitude em sua razão, sem jamais se contradizer ao se sustentar em sua sinceridade e veracidade.

Que toda modificação e mutação seja para sintetizar a excelência que tens a transbordar. Seja o melhor de você em todas suas ações até no exercício de detestar. Reaja para que o universo possa restaurar a energia que insiste em te rodear, se rodeie de boas vibrações e pessoas que possam somar. Some e compartilhe seu conhecimento para que esse possa se amplificar, expandindo sua mente e fluindo com com frequência que sintoniza com o seu radar.

Caroline Gonçalves.

Súbito.

Entre esse vento frio e úmido, noto pequenas gotas de orvalho que se envoltam em meus cabelos, parecendo pequenas gotas de gelo, inundando em meu corpo uma gélida sensação de morte súbita.

Acordo envolta de suor frio que me afoga de pavor ao sentir tal temor me fazendo notar que substancialmente estou à deriva de uma gigantesca e profunda sala, uma caixa retangular que se chama alma.

A cada nova sala é um espaço novo com tamanha insuficiência de luz que me sinto alastrar. Erradio então, para tudo iluminar. Começo a caminhar e não enxergo onde posso parar só sigo em frente como um vaga-lume a vagar.

Essa, tão escura de puro breu, sinto expandir-se com a vastidão do que posso ser, alastrando-se como a lava que queima ao escorrer e deixando assim se rudimentar, como uma rocha Ígnea, com diferentes camadas a se formar.

E como num piscar de olhos, acordo de um mundo caótico e noto que nesse momento estou apenas caindo e emergindo de dentro de mim, acordando para uma realidade mais coerente e menos lúdica.

Conscientemente notando ser subitamente um espamo hipnico, concluo minha estultícia e questinando-me a profundura da insciencia da alma diante de toda essa jornada que se chama vida.

Caroline Gonçalves.

Instinto.

Guiar-se pela sua intuição não é somente loucura ou invenção.
Guiar-se pela sua intuição é muito mais do que imaginação, é estar conectado com seu eu em outro momento. É sentir fluir e se expandir em formato de um domo para proteger -se nos momentos mais oriundos.
Isso vale mais que um simples não!
Vivemos rodeados com tantos nãos que não percebemos que nossa expansão e ampliação está no simples fato de acreditar em nossa apercepção.

Permitir que sua intuição viva em você é deixar guiar-se por bons pensamentos, que nos leva a bons e longos lugares não havendo mais argumentos que o impeça de acreditar em sua capacidade.
Isso vale mais que um simples não!
Encontre o equilíbrio entre o saber e o enlouquecer, saiba escolher para não se arrepender e se em uma eventualidade o acaso acontecer seja leve com você até porque você suspeitou.
Isso não vale a sua condenação!
Revise suas opiniões, inclua suas percepções, evolua com suas decisões e aceite suas sentenças, e se por acaso algo te abster, saiba que é somente você enlouquecendo sem saber.
Isso vale mais que um simples não!


Caroline Gonçalves