Falta.

Estou emaranhada, coberta por um novelo que tecela sobre mim sentimentos mau compreendidos, me pondo em um estágio de contentamento descontente, acumulando dúvidas sobre o que sentir, ser e fazer. E nesse estado de entendimento, entendo o desconhecido e sem saber dizer sigo em frente, absorta pelos meus pensamentos, me proporcionando novos sentimentos e descobrindo novas possibilidades sobre o tempo.

Sentindo esse espaço  se abrir, tomo uma iniciativa para prosseguir, me instigando a perseguir incisivas decisões, soldando tudo em puro chumbo so pra ter a certeza de pés firmes no chão. Respiro com calma e deixo o ar tomar conta de cada lacuna do meu ser, respiro fundo e sinto bem ao fundo de meus ossos o estalar da alma para um novo despertar. É hora de acordar, o sol já vai raiar para um novo dia começar!

Caroline Gonçalves.

Isso.

Isso, sem nome ou endereço que explode do peito, como uma onda em desalento sem nem ter despeito pelo próprio sujeito. Isso que habita inconscientemente que pulsa latente e desabrocha calmamente. Isso que por horas rasga e estrangula, massacra e sepulta uma vastidão de sentimentos. Isso que vem e vai como uma descoberta do que é sentir. Sentir isso, é como se você morresse e vivesse ao mesmo tempo e inconscientemente você despertasse para somente descobrir sobre isso. Isso que explode no leito do peito como gás em combustão, isso que sedmenta, rudmenta como lava em erupção, transbordando um sentimento de erudição, um despertar, uma ascensão. Desafogue e se desdobre sobre esse mar de vastidão, seja isso que habita em você e transborde em todo amanhecer.

Caroline Gonçalves.

Fotografia: @gayastudios

Pessoal.

Estar consigo exige muita coragem, estar por si requer muita bravura. Amar-se é para todos, mas são poucos que se bem-querem.
Apreciar-se é entender que você é um ser único e exclusivo e cada palavra ao vento é uma mandinga para bons pensamentos, bons momentos, alguns instantes sobre o tempo, tempo que insiste em correr contra o ponteiro só para poder ganhar mais tempo. Tempo incerto e impetuoso, disforme e incabível, que nos prende ao anuário e ao relógio, ciosos para que o tempo traga o momento específico, momento ideal, cabal e pessoal.

Viver coberto de certezas lhe faltará respostas e tampouco lhe sobrará perguntas.
Questionar-se, demanda de uma grande confusão mental, confusão irracional, sentimento literal e desproporcional. Duvidar sem criticar, dançar sem tropeçar, sorrir sem registrar, seja leve e livre, voe para onde o vento te soprar e quando chegar lá, agradeça pelo árduo caminho que tivesse que encarar. Entenda que “só não era feliz quem não sabia”, então saiba que só depende de você para tamanha sapiência e compreensão, seja calmo e aprecie a sua evolução.

Viaje por novos lugares, conheça novas cores e sabores, encare o hoje como um presente e agradeça pelo sol que volta a cada novo amanhecer. Descubra, desbrave, se aventure, encare, supere, acredite e seja. Seja mais leve, mais bondoso, seja mais confiante e afetuoso, seja mais sincero e honesto, seja mais otimista e siga perseverante, afinal, no final é tudo por você e pra você, então seja tudo o que puder e quiser, seja tudo aquilo que sonhou ser, seja simplesmente você.

Caroline Gonçalves.

Verde.

Quando a cor verde vibra na gente vivenciamos uma sensação eloquente de sentimentos adjacentes estimulando nosso subconsciente com propriedades diferentes, agradável e estável, a cor verde tem um alto domínio equilibrado nos dando estabilidade e conforto a cor verde nos trás um sentimento harmonioso.
Resolvendo pintar as paredes da alma de verde chá, peço calma e liberdade, juventude e tranquilidade. Pintando as paredes da alma de verde escuro descubro oscilação sobre minha frequência vibracional, encontro meu equilíbrio corporal e emocional. Escolhendo um tom mais claro, acabo pintando de verde Lima que me instiga e me intriga com a energia pré estabelecida com a fauna e com a flora, energia que aflora, que floresce de dentro pra fora e nos transforma em pura sublimidade, energia de verdade. Sentindo o cheiro verde  na manhã nascente permito me inundar com pura quietude, absorvendo toda calmaria e serenidade e transbordando toda agitação e intranquilidade, cheiro verde de prosperidade.
Relacionando a cor verde com o nojo e a inveja, cobiça que que se expressa sem intenção de propriedade, não é uma inveja de verdade. Uma tonalidade de tamanha amplitude constituída de simples pigmentos, composta por ciano e amarelo  contorno todo meu oceano de verde mar e me atiro sem medo de me afogar, pois a cor verde representa proteção e no meu coração não há insuspeição quanto a minha intuição em acreditar que a cor verde é de pura liberdade, a cor verde, é energia de verdade!Caroline Gonçalves.