Único.

Existe um sentimento de unidade que me preenche, abrindo um vácuo imenso de unicidade e reciprocidade que transborda em meu ser, me dando brasão para crescer, viver e morrer. Poder estar na presença desse sentimento me permito escutar o que tem dentro, ouvindo e entendendo atentamente sobre meu coração, pulsão e imersão, julgando e questionando tudo que seja duvidável, excluindo e substituindo errôneos pensamentos sobre a vida. Reeduco meus valores e me adapto ao meu novo eu.

Trabalho árduo este, se conhecer todo dia!

Caroline Gonçalves.

Falta.

Estou emaranhada, coberta por um novelo que tecela sobre mim sentimentos mau compreendidos, me pondo em um estágio de contentamento descontente, acumulando dúvidas sobre o que sentir, ser e fazer. E nesse estado de entendimento, entendo o desconhecido e sem saber dizer sigo em frente, absorta pelos meus pensamentos, me proporcionando novos sentimentos e descobrindo novas possibilidades sobre o tempo.

Sentindo esse espaço  se abrir, tomo uma iniciativa para prosseguir, me instigando a perseguir incisivas decisões, soldando tudo em puro chumbo so pra ter a certeza de pés firmes no chão. Respiro com calma e deixo o ar tomar conta de cada lacuna do meu ser, respiro fundo e sinto bem ao fundo de meus ossos o estalar da alma para um novo despertar. É hora de acordar, o sol já vai raiar para um novo dia começar!

Caroline Gonçalves.

Perspectiva.

Incerta sobre meus pensamentos, vagueio por aí sem direção. Ao desfilar por dentro de mim, me deparo entre paredes pixadas de puro horror e nostalgia, são memórias esquecidas, memórias arquivadas, intituladas minhas experiências.

Estou vivenciando-me em pura lucidez. As paredes riscadas, aranhadas e maltratadas, agora em ruínas, acento tijolo por tijolo pintando tudo em tom de branco, só para dar impressão de maior.

E com esse espaço que me abre, me desrompe uma vastidão de solidão. Que inércia incumbida. Como permitir tais sentimentos defasados ao meu ser, sendo que me deparo em abundância de companhias.

Ao mesmo que me sinto ingrata pelo que me é dado, sinto amor e apreço por tudo que já houvera conquistado. Como posso ser tão contraditória a mim, questionando-me até o fim.

Fingindo acreditar ser normal, me faço racional e me ponho em suma prioridade. Hora de entender quem eu sou de verdade.

Sou nada além de uma extensão do que idealizo, logo, sou a essência do meu desejo. Desejo soberbo sobre tudo que anceio e almejo, tudo dentro do meu preceito.

Sentindo estar fora de percurso, saio dos eixos e entro em colapso me pondo à deriva de um precipício. Vou me jogar e contar com a sorte.

Que sorte a minha, era só questão de perspectiva. Agora tudo faz sentido. “É necessário sair da ilha para ver a ilha. Não nos vemos se não saímos de nós.”

Caroline Gonçalves.

Busque.

Sinta aflorar um desobedecer e prevaleça em seu saber, transmita todo seu parecer de forma que lhe faça entender que de nada vale todo saber externo se não há o conhecimento interno. Praticar a conexão com o universo lhe fará compreender que tudo está relacionado à você como peça ímpar para algo muito maior, tudo dependerá de como você se doará a essa ligação. Vigie seus pensamentos, exclua palavras danosas do seu vocabulário, reluza o que há de mais profundo em você e compreenda que todos somos feitos de energia, porém o que nos diferencia é nossa pura e única essência. A evolução se dará pelo seu amor próprio e este não se limita ao seu fenótipo. Transforme seu genótipo para sua melhor versão, busque sua conexão e transborde toda a sua inspiração sem qualquer limitação, compartilhando tudo que seja condizente de sua opniao agregando valores no ato de compartilhar e se espiritualizar, aceitando tudo o que o universo tem para te proporcionar. Receba, sinta e seja a essência do seu eu a aflorar!

Caroline Gonçalves.

Encarar.

Sentindo o agora se estabilizar, transbordo toda energia pra tudo se dissipar, movimentando o ar e a ação de poder me transformar. É momento de calar e escutar, perceber o que se passa no meu circundar e entender que tudo é uma questão de ser e não de estar. Aceitar e transmitir o ato de transmutar, se renovar e praticar o sentimento de se amar e se aceitar.  É hora de acreditar e realizar, incluir na rotina o fato desejado. Registar, gravar, rabiscar e espalhar, de modo que meus olhos possam confrontar o pressuposto improvável. Encaro e retraio a cara para o retrato estampando de tamanha importância que se intitula, Eu. Quanta ênfase a mim. Seja e faça pelo fato, e não pelo ato de querer se enobrecer, enriqueça seu coração de pura energia em expansão e sinta a vibração do seu Eu em ascensão, vivencie o ato de vivenciar a experiência e se experiencie-se disso. É momento de contemplação, vislumbre a praticidade que foi encontrar na simplicidade a facilidade de receber os pedidos dissipados  ao universo, palavras ao vento ganham força quando ditas com vontade, tenha veracidade e humildade, grandes ditos ressoam na eternidade, vozes eufóricas gritando por liberdade. Encare tamanha complexidade e se depare com o seu Eu implorando por saciedade. Alimente sua vontade, sua capacidade, sua singularidade e viva sob a certeza da sua existência nesse instante de vida.

Caroline Gonçalves.

Corpo.

Peito aberto, riso largo, carrego comigo amores, amigos e laços apertados. Olhos abertos, cerrados e brilhantes, procuro enxergar a beleza a todo e qualquer instante. Mãos frias, dedos enrijecidos e gelados redijo ferozmente o que me foi ensinado. Braços fortes, entrelaçados ou amedrontados, abraço o futuro com vigor e fervor agradecendo pelo o que me foi dado. Coração apertado, pequeno e descompassado, sente saudade dos amores e sabores deixados. Mente aberta, dispersa e analítica, analisa a imensidão da mente sem ser invasiva. Pernas cansadas, pesadas e mórbidas, carregam o fardo de sempre me levar embora. Boca aberta, entreaberta ou gritando sou eu apenas mais um protagonista protagonizando. Ouvidos atentos, ouvindo e absorvendo o necessário, extraindo absolutamente tudo do imaginário. A voz que ensina sobre amor, soa com vigor e esplendor se estabilizando conforme o meu pavor. Estando internamente habitado por mim, me conforto com a forma que me formo diante as conformidades que me coloco, mas por hoje permanecerei calado diante o silêncio impregnado sobre esse ser defasado depois de mais um dia trabalhado. Estou cansado!

Caroline Gonçalves.

Pessoal.

Estar consigo exige muita coragem, estar por si requer muita bravura. Amar-se é para todos, mas são poucos que se bem-querem.
Apreciar-se é entender que você é um ser único e exclusivo e cada palavra ao vento é uma mandinga para bons pensamentos, bons momentos, alguns instantes sobre o tempo, tempo que insiste em correr contra o ponteiro só para poder ganhar mais tempo. Tempo incerto e impetuoso, disforme e incabível, que nos prende ao anuário e ao relógio, ciosos para que o tempo traga o momento específico, momento ideal, cabal e pessoal.

Viver coberto de certezas lhe faltará respostas e tampouco lhe sobrará perguntas.
Questionar-se, demanda de uma grande confusão mental, confusão irracional, sentimento literal e desproporcional. Duvidar sem criticar, dançar sem tropeçar, sorrir sem registrar, seja leve e livre, voe para onde o vento te soprar e quando chegar lá, agradeça pelo árduo caminho que tivesse que encarar. Entenda que “só não era feliz quem não sabia”, então saiba que só depende de você para tamanha sapiência e compreensão, seja calmo e aprecie a sua evolução.

Viaje por novos lugares, conheça novas cores e sabores, encare o hoje como um presente e agradeça pelo sol que volta a cada novo amanhecer. Descubra, desbrave, se aventure, encare, supere, acredite e seja. Seja mais leve, mais bondoso, seja mais confiante e afetuoso, seja mais sincero e honesto, seja mais otimista e siga perseverante, afinal, no final é tudo por você e pra você, então seja tudo o que puder e quiser, seja tudo aquilo que sonhou ser, seja simplesmente você.

Caroline Gonçalves.

Exteriorizar.

Extermalizando toda extensa experiência da essência absorvida da energia fluida que vem do universo, transbordo vibrações já esquecidas inseridas em minha alma, absorvendo o incisivo esdrúxulo sistêmico da frequência ao vibrar, sinto rasgar a alma para poder me repaginar.

Agora ao estar mais madura ao observar, noto a insistência da psique pessoal ao se fazer notar, segmentando na impessoalidade humana no ato de se relacionar ao socializar.

Ser invasivo e opressivo na ação de criticar serve somente para ofender e destratar, tratando-se mais de uma questão pessoal do que a quem quer se retratar.

Ser transparente nos sentimentos a demonstrar é ser sincero consigo mesmo no simples ato de se preocupar. Orgulhe-se de poder e saber expressar e saiba como e quando somar ou se afastar.

Esteja pronto para se transformar. A totalidade de sua sapiência é o suficiente para lhe projetar a um novo ciclo e se metamorfosear, encare a vida com plenitude em sua razão, sem jamais se contradizer ao se sustentar em sua sinceridade e veracidade.

Que toda modificação e mutação seja para sintetizar a excelência que tens a transbordar. Seja o melhor de você em todas suas ações até no exercício de detestar. Reaja para que o universo possa restaurar a energia que insiste em te rodear, se rodeie de boas vibrações e pessoas que possam somar. Some e compartilhe seu conhecimento para que esse possa se amplificar, expandindo sua mente e fluindo com com frequência que sintoniza com o seu radar.

Caroline Gonçalves.

Ficar.

Calmamente olho ao redor e me esbarro com tamanho pavor.
Me deparo com o espelho, mas não reconheço meu fervor.
Isso que transborda em mim, vem de mim ou de você?!
A sua dúvida perpetua dentro do meu eu.
Agora eu sou eu e sou você.
E nesse desconexo de sentimentos, surge a sutileza dos atos, a leveza nos passos e a sintonia da alma.
Com calma e clamor, pinto o horizonte de uma só cor.
Com um tom rubro negro, tingo o céu de vermelho e sinto o medo se transcorrer com o pincel ainda fresco, sente o cheiro do ar ameno?!
Sento-me então em um belo gramado, ainda verde do verão, e me pergunto, pra onde vou então?
Sentindo a energia da terra vibrar sobre minhas mãos, me conecto em sintonia com o pulsar do coração, vibrando e liberando capacidades eloquentes adormecidas em meu ser, agora eu sou mais eu do que sou você.
Conduzida a devaneios, jurando acreditar nessa realidade abstrata, abstraio tudo que se correlata inapropriado ao ser, seja em crescer, obsolescer e não deixar prevalecer a essência desse desobedecer.
Me afago em seu gostar e me permito novamente naufragar em um sólido espaço de amar, dando descerramento a
um ciclo longe de ultimar, de se encerrar.
Já passou a hora de se encontrar, não me deixe esperar, pois sou leve como o vento e com ele posso voar.

Caroline Gonçalves.