Isso.

Isso, sem nome ou endereço que explode do peito, como uma onda em desalento sem nem ter despeito pelo próprio sujeito. Isso que habita inconscientemente que pulsa latente e desabrocha calmamente. Isso que por horas rasga e estrangula, massacra e sepulta uma vastidão de sentimentos. Isso que vem e vai como uma descoberta do que é sentir. Sentir isso, é como se você morresse e vivesse ao mesmo tempo e inconscientemente você despertasse para somente descobrir sobre isso. Isso que explode no leito do peito como gás em combustão, isso que sedmenta, rudmenta como lava em erupção, transbordando um sentimento de erudição, um despertar, uma ascensão. Desafogue e se desdobre sobre esse mar de vastidão, seja isso que habita em você e transborde em todo amanhecer.

Caroline Gonçalves.

Fotografia: @gayastudios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s